Tem dúvidas de como deve organizar a alimentação em casa?
Este é um espaço virtual focado na qualidade alimentar que a família deve praticar em casa, nas compras, na creche, na escola, no trabalho.
Aqui encontrará excelentes conselhos de Nutrição e também de Segurança Alimentar a seguir pelo consumidor para si e sobretudo para as suas crianças!

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Legumes ultracongelados, congelados ou frescos?


No seu artigo de "como convencer as crianças a comer legumes" diz algo que me despertou a curiosidade... os legumes ultracongelados podem ter mais valor a nível nutricional. Percebi no entanto que se referia aos legumes comprados frescos e deixados eternamente no frigorífico. Mas, e a minha dúvida é esta... Há diferença entre alimentos congelados e ultracongelados?

Existe, de facto, alguma distinção na qualidade nutricional dos legumes que regularmente adquirimos (Pré-mamã N.)?

Tenha em consideração o seguinte:
- Os legumes, e fruta também, apresenta a qualidade nutricional máxima, no momento ideal da sua maturação.
- Os legumes, e fruta também, sendo de origem biológica veiculam apenas pesticidas orgânicos, inofensivos para o ambiente e com menor impacto para a criança;
- Os legumes, e fruta também, de produção convencional, veiculam vários pesticidas,os quais se encontram legislados e, na generalidade, as doses são controladas pelos agricultores. Contudo, estas substâncias químicas são controladas/legisladas individualmente não se conhecendo a acção cruzada do seu efeito. Por outro lado, os legumes, e fruta também, que não é da época, são potenciais portadores de pesticidas em maior quantidade para ultrapassar a natureza. Consuma legumes/fruta da época, é mais natural e mais barata! Lembre-se: os pesticidas, ao contrário do que as pessoas pensam, não é eliminada por fervura sendo que alguns pesticidas são sistémicos e portanto chegam, pelo solo, ao coração da planta.
- Os legumes, e fruta também, devem ser consumidos o mais próximo possível da sua colheita, dado que vão perdendo valor nutricional, à medida que são armazenados em casa, dentro ou fora do frigorífico. Por isso deve comprar o menos possível, e mais vezes, tanto quanto possível.

Feita esta preliminar abordagem, destaco agora os particulares aspectos de cada variedade:

Legumes comprados frescos
Tenha em consideração que deve comprar o mais fresco possível, e da época. E de preferência, biologico, em agricultores locais ou feirinhas.
Os produtos convencionais, vendidos sobretudo em hipermercados, são colhidos prematuramente, verdes até, e injectados com etanol (actua como hormona de crescimento)em câmaras próprias para atingir o ponto artificial de maturação. Por isso o seu teor nutricional é muito baixo.
Por isso, compre bem, em pouca quantidade e gaste depressa. Preferível cozinhar tudo e congelar depois, em sopas, por exemplo.

Legumes comprados ultracongelados
Estes produtos são mais caros, mas estritamente controlados. Quer nos pesticidas utilizados, quer no ponto de maturação. A sua colheita é realizada no auge nutricional e o seu processamento sujeito à prévia branqueação, altamente bem executada, e seguida da ultracongelação em tanques de ar frio que garante o arrefecimento rápido impedindo a formação de cristais de gelo e assegurando a máxima protecção nutricional. Deve apenas ter o cuidado de renovar os stocks no congelador, pois, uma vez aberta a embalagem, as queimaduras pelo frio podem ocorrer e prejudicar a sua qualidade.

Legumes congelados em casa
Sujeitos a uma compra deficiente, na maior parte dos casos e sem culpa da dona de casa que desconhece o que aconteceu ao legume/fruta antes de chegar ao seu ponto de venda.
Por outro lado, a branqueação doméstica é feita medianamente e não sujeita ao arrefecimento rápido, conseguido apenas industrialmente.
Portanto, somando todos estes aspectos, e tendo em conta o tempo que já terá decorrido após o momento da sua colheita, evidenciam bem, que a qualidade nutricional destes legumes/fruta fica muito áquem das expectativas.

Conclusão
Prefira os legumes, e a fruta crua, sobre todos os restantes alimentos, pois acima de tudo são ricos em antioxidantes que protegem o organismo das agressões diárias. Mas se souber comprar bem, se estimular a sua rotatividade e promover a sua interessante apresentação, estará a reduzir o risco de doença em toda a família. Pense nisso.

Deixo este video, muito interessante, e que complementa a informação aqui facultada. Espero que gostem e peço desde já desculpa por estar em espanhol...





Não posso deixar de lançar aqui uma reflexão: para quando rótulos nos legumes frescos? Sugestões aceitam-se!

Dra. Solange Burri
Consultora em Alimentação

Leia também:



Sigam BabySol® nas Redes Sociais:



Email

Receba as actualizações do Portal BabySOL®:

Introduza o seu email:


3 comentários:

  1. Os legumes e frutas comprados em produtores locais e/ ou feirinhas não correm o risco de não terem tanto controle relativamente a pesticidas? Não querendo desconfiar de ninguém, mas até que ponto alguns desses produtores deitam os pesticidas "a olho"?
    Relativamente aos locais onde comprar legumes e frutas biológicas, nem sempre é fácil encontrá-los. Eu compro numa cooperativa na Corujeira (Porto).
    Agora deixo eu um reparo: para quando mais produtos biológicos em hipermercados? Eu sei que já os há, mas em quantidade (e muitas vezes em qualidade) muito inferior.
    Obrigada por este blog!
    Beijinhos,
    Marta

    ResponderEliminar
  2. Olá Marta
    Obrg pelo seu comentário!
    Peço desculpa por só responder agora mas tenho tidos dificuldades em aceder a esta área do Blog!
    Bem, relativamente à venda em produtores locais e feirinhas, os agricultores biológicos têm sempre que fazer prova do selo biológico, pois é obrigatório ter formação nesta área para a desenvolver.
    Pois, os locais de compra não são bem disseminados, é verdade, e os hipermercados como já tenho referido não são os locais mais adequados: são caros, são importados, sem frescura e rótulos deficientes.Tem toda a razão!
    Obrg e até breve,
    Solange

    ResponderEliminar
  3. Sou produtor para uma grande superfície e não concordo contigo. Tê-mos um controlo muito superior ao mercado e tê-mos constantemente pessoas especializadas a fazer testes aos nossos produtos. Enquanto produtores meus vizinhos não fazem testes de qualidade nenhum nem têm controlo de entidades exteriores ao seu produto. Quanto a injecções de etanol nunca ouvi falar. Mas sei que em portugal não é permitido aceleradores de produção, por isso é que no caso da fruta a nossa é sempre mais saboraso do que a da nossa vizinha espanha. Ao nivel dos rotulo acho que deverião estar mais visiveis muitas vezes, falta de informação no rotulo não concordo.

    ResponderEliminar

Comente este Blog.
A sua participação irá enriquecê-lo e promover novos conteúdos. Obrigada e...fique por perto!